Adoro toda a gama de apelidos que as moças dão pros seus pretês quando falam com as amigas: "boy da cisma", "crush de SP", "zé arcádio", "o dos dreads", "o aquariano", "aquele que você mandou eu te perguntar se eu fosse chamar ele pra sair pra você poder me impedir".

Se fosse pra usar meus títulos ninguém se dirigiria a mim como menos que Master Master. (Ouviu o chicotinho?)

-- Vou sem sutiã, tá?
-- Eu acho estranho é quando você usa.
(Não foi aqui em casa não, foi uma amiga!)

Tigresa é bonita mas "como é bom poder tocar um instrumentú" eu acho um dos versos mais mal ajambrados da MPB.

Em meio à emoção de enviar e receber sentimentos lindos de ano novo, o balde de água gelada: "Esperava ligação..." Família é foda mesmo. :(

A @alepicoli e eu a gente se ama tanto que nossos tuites se completam, tipo um jogral.

Ter que apresentar pra mãe, pros amigos, sair no sábado, falar no WhatsApp, estar disponível em tal e tal momento... Mas e a qualidade do afeto? A gente dá trela pra umas pessoas que vouticontá. Desejo que todo mundo tenha força e autoestima pra mandar pastar essa galera cagada.

Nada me tira da cabeça que o que faz as pessoas caírem nesses embustes é uma mentalidade de escassez e uma checklist do que um relacionamento deve ser. (Que não é exatamente culpa da pessoa, mas é um lance que a gente aprende.)

Até porque quem age nesse padrão aí não quer: 1) ficar com alguém livre pra pegar todo mundo também; 2) conversar; 3) falar a verdade (o verdadeiro tesão é mentir, tipo criança que cabula aula); 4) ter relacionamentos mesmo (a graça é a conquista e o lero lero, depois foda-se).

A pessoa que faz merda no relacionamento, diz qualquer mentira pra poder transar, trai horrores, engana todo mundo, ela não tem problema com a monogamia, ela tem problema de caráter. Mudar o modelo de relacionamento vai só gerar mais merda ainda.

Aquela fase em que até geladeira aberta faz a gente lembrar do crush.

Vocês aí se preocupando com o tio do pavê e deixando os flancos descobertos. Acabei de ouvir "é patê ou pa usar?".

Ler, interpretar, escrever, pensar, refletir, calcular: luxo de pouquíssimos. E a piada sobre "quem tá morto não sabe, quem é burro também não" perde a graça de tão real.

Os caras que eu amei estão tendo 2-3 filhos cada um, socorro! (Mentira, são 1-2, mas mesmo assim.)

Fazer aniversário é a melhor coisa que tem, já fiz uns 43 e recomendo muito, fico amando todo mundo por semanas, obrigada por ontem, gente. ❤️❤️❤️

Mostrar mais
Mastodon(te)

O masto.donte.com.br é uma instância moderada com um foco em usuários do Brasil, mas usuários de outros lugares (e outras línguas) são bem vindos. Discursos de ódio são proibidos. Usuários que não respeitem as regras serão silenciados ou suspensos, dependendo da severidade da violação.